sexta-feira, 11 de março de 2011

Toda história tem começo, meio e um termino. Mas e uma história de amor, tem que ter fim?

Ela: Passou tudo tão rápido. Aquela música,a nossa música, continua guardada na minha cabeça. De vez em quando eu a cantarolo sem querer. Se eu consigo dormir,é porque meus olhos estão cansados de chorar.Passo tanto tempo trancada em meu quarto que mal vejo a luz do sol. Hoje chove,adoro dias assim,pois costumavam ser os melhores dias com ele. Eu podia ligar para ele e ter a certeza de que ele não recusaria nenhum plano. Ele costumava sussurrar em meus ouvidos,fazendo meu corpo inteiro se arrepiar. Ele não sabe,mas em cada lugar de mim ficou uma marca de nós. Meus pensamentos são tomados,tudo pertence a ele. Eu sinto tanto a falta dele,mas ele provavelmente não sente a minha. Queria tanto ligar para ele,somente para ouvir sua voz,porém meu orgulho,meu medo de ser rejeitada não deixa. Cada vez que eu entro no MSN eu espero que ele fale comigo,que ele me diga um ”oi”. Diga que sentiu saudades e que ainda me ama. Estava caminhando em meio aquela chuva e o vi.Meu coração disparou,porém não o olhei mais,dóia demais. Eu só queria que ele voltasse,arrombasse minha porta,dizendo que foi errôneo, que sente tanto a minha falta,que é quase insuportável. Meu melhor amigo,meu maior amor, cadê você que ainda não veio me buscar?

Ele: O dia passou e eu nem vi. Nada tinha sentido. Há dias estou escutando apenas a nossa música. Não durmo a noite, não vejo mais o pôr-do-sol. É como se o mundo perdesse sua aquarela. Olho pela janela e observo as gotas de chuva “lacrimejar” pela minha janela e ela gostava de chuva. Nesses dias, sempre me ligava e tomávamos chocolate quente. Eu a abraçava antes de dormir e sussurrava em seu ouvido “sonha comigo, meu amor”. Ela não sabe, mas em cada lugar do meu quarto tem sua marca. Cada pedaço do meu coração sangra dia e noite, minha dor não para, meu incansável cérebro não me deixa parar de pensar em cada momento nosso. Talvez ela não sinta minha falta… Não, seu idiota, minha consciência me diz, ela sente, há cada minuto. Mas por quê? Porque o telefone nunca tocava? Por que ela ficava ausente no MSN? Por que ela passava por mim na rua e não me olhava nos olhos? Eu só queria uma chance, uma única oportunidade de tê-la em meus braços de novo, de dizer o quanto a amo, o quanto eu necessito de sua presença em minha vida. Minha melhor amiga, meu primeiro e maior amor, volta pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário